08 março, 2016

Trilogia: Jogos Vorazes - Suzanne Collins




Olá pessoal! Tudo bem com vocês?

Hoje resolvi escrever essa resenha de um jeito diferente das que já fiz aqui. Para começar não vou falar apenas de um livro, mas dos três que compõem a série e claro dos filmes também. Ou seja, nada mais, nada menos sobre a minha experiência e opinião pessoal sobre a trilogia.


Peço licença aos fãs porque sei que certas opiniões sobre coisas que gostamos nos afetam, mas por favor, não levem para o lado pessoal e sintam-se a vontade para comentar.

JOGOS VORAZES

Nunca tinha lido ou assistido algo sobre distopia na vida quando ouvi falar do lançamento do filme "Jogos Vorazes" que me pareceu interessante com toda essa historia de garota em chamas,"eles quebraram todas as regras" e tal, daí fui ver o filme. 

Achei tudo muito estranho e não consegui acreditar nesse futuro que eles criaram. A única cena que conquistou minha simpatia foi uma das primeiras quando a protagonista, Katniss Everdeen, se oferece como tributo no lugar da sua irmã mais nova, ​Primrose. Saí da sala de cinema convencida de que nunca teria interesse em ler os livros e muito menos ir ao cinema assistir a continuação.


"A princípio, um, depois outro, depois quase todas as pessoas da multidão tocam os três dedos médios de suas mãos esquerdas em seus lábios e os mantêm lá em minha homenagem. É um gesto antigo de nosso distrito , e raramente utilizado. Eventualmente visto em enterros. Significa agradecimento, admiração, adeus a alguém que você ama." (Jogos Vorazes, página 31)

Não entendi os simbolismos e nem sua importância, a tal Katniss era muito fria e confusa. Eu não gosto de reality show e boa parte do filme é dessa forma. Sem falar do triângulo amoroso fraco e sem graça porque nem a próprio protagonista estava interessada nele. E o que eram aquelas pessoas esquisitas??? 

"Só fico desejando que haja alguma maneira de ... de mostrar à Capital que eles não mandam em mim. Que sou mais que somente um peça no jogo deles." (Peeta Jogos Vorazes, página 253)

Mas opiniões as vezes mudam e o importante é ter opinião para mudar haha. As vésperas do lançamento do próximo filme, "Em Chamas", eu achava que não teria nada que me fizesse assisti-lo, mas o que não faltou foi propaganda nas ruas ("Lembre-se de quem é o inimigo"​)​ para me deixar curiosa o suficiente para ver o trailer e não deu outra, fui assistir ao filme mesmo sem grandes expetativas ​e fui pega totalmente de surpresa. Esse ​filme me fez querer saber como a historia iria terminar e ler todos os livros.



O TORDO


"Os gaios tagarelas eram bestantes, pássaros do sexo masculino geneticamente aprimorados, criados com armas pela Capital, para espionar os rebeldes nos distritos. Eles conseguiam lembrar e repetir longas passagens de conversas humanas. Por isso eram enviados para áreas de rebelião, com o intuito de capturar nossas palavras e retransmiti-las para a Capital. Os rebeldes entenderam a artimanha e fizeram com que eles se voltassem contra a Capital enviando-os de volta para casa cheios de mentiras. Quando isso foi descoberto, os gaios tagarelas foram abandonados para que morressem. Em poucos anos foram extintos, mas não antes de se acasalarem com fêmeas de tordos, criando uma espécie completamente nova."(Em Chamas, página 102)

Como acontece na maioria das vezes, o livro por ter mais detalhes me fez entender um pouco mais sobre esse mundo e esse futuro apresentado na série. Ao contrário do que aconteceu com o primeiro filme, gostei do primeiro livro. Já o segundo, que foi o filme que mais gostei acabou sendo o livro mais cansativo e mais importante para mim por esclarecer o maior do simbolismo dentro da trama. 

Associar a heroína ao tordo foi simplesmente genial. Quando eu finalmente descobri porque um torno e não uma fênix (por exemplo) ou qualquer outra coisa me deixou bem feliz. Finalmente estava me sentindo "por dentro" da série e estava gostando.




A HEROÍNA

"As amoras. Percebo que a resposta para quem eu sou reside naquele punhado de frutas venenosas. [...] O problema é que não sei exatamente o que estava se passando dentro de mim naquele momento."(Em Chamas, página 130)

"Precisamos que alguém nos guie e nos assegure de que a empreitada é possível. Acho que não sou essa pessoa. Posso ter sido a catalisadora da rebelião, mas um líder deve ser alguém com convicção, e eu mal consigo convencer a mim mesma."(Em Chamas, página 136)

Para mim a Katniss não é um heroína. Desde o começo tudo o que ela fez foi pensando somente nela mesma, ou na irmã ou porque estava sendo manipulada. Nenhuma vez, nem nos livros ou nos filmes, me pareceu que ela queria uma revolução e salvar o mundo.



A ESPERANÇA






"O presidente Snow diz que está nos enviando uma mensagem? Bom, tenho uma para ele. Você pode nos torturar e nos bombardear e queimar nossos distritos até que eles virem cinzas, mas está vendo isto aqui? Está pegando fogo! Se nós queimarmos, você queimará conosco! (A Esperança, página 112)


E "A Esperança" me decepcionou um pouco. Tanto o livro quanto o filme tem muita adrenalina e cenas de tirar o fôlego antes do desfecho, mas não foi o final que queria.

O primeiro filme foi bem tedioso e tinha coisas mais importantes na primeira parte do livro que poderia ter aparecido no filme. A única parte que me empolgou foi no final. Uma das cenas mais chocantes da série.

O ultimo filme foi mais empolgante e as cenas eletrizantes descritas no livro foram perfeitas, mas como não gostei do desfecho da série no filme aconteceu igual.

Mas é inevitável admitir como a série teve forte impacto e influência para muitas pessoas (um desses símbolos foi usado na Tailândia por manifestantes) e como os simbolismos brilhantemente criados foram bem explorados na série. 

No geral eu gostei da série. Foi a primeira distopia que conheci, mas não é a minha favorita. Eu gostaria que a série tivesse falado um pouco mais sobre como o mundo que conhecemos hoje ficou como o mundo em que a trama se desenrola e como falei antes, mudaria o final também.

Me conte o que achou da série!

Até a próxima!

Bjin da B

Nenhum comentário:

Compartilhe comigo a sua opinião

Desenvolvido por Igor Thiago | imagem do livro O inferno de Gabriel | Não copie, seja criativo!